Pesquisa-criação como aventura do pensamento

Ministrado por Sebastian Wiedemann

Seminário online de 15 de julho a 8 de setembro 2019

Aprofundamento  

O que pode a arte e a filosofia antes delas se saberem arte e filosofia, o que podem suas forças pré-individuais e seus metamorfismos na passagem pelas materialidades?

E se o único que nos interessasse fossem os movimentos quando percebidos desde o ponto de vista da criação e não desde o ponto de vista do sujeito?

O que implica e complica um verdadeiro nomadismo e aventura do pensamento?

Este projeto passa pela vontade de problematizar a relação entre arte e pesquisa e seus possíveis desdobramentos como as tensões entre teoria e prática e a emergência de figuras como o Artista-pesquisador ou o Artista-filósofo. Mas o que realmente pulsa no “entre” desta relação? Isto é, qual é a questão real que, para além da lógica dicotômica dos falsos problemas, emerge? A nosso ver o apelo por lugares interseccionais, intersticiais e de passagem, procura a instauração de diferenciais que deem lugar ao movimento. Ou seja, a um nomadismo produto do encontro entre heterogêneos que transbordam não só as formas preestabelecidas, mas a lógica hilemórfica que está por trás.

Assim, nossa motivação de fundo é problematizar as condições e procedimentos que, para além das categorias, disciplinas, instituições e das formas – arte, filosofia, educação, academia, sujeito, etc – movem e fazem funcionar uma aventura do pensamento, como o processo de criação e composição sempre em aberto de multi-relacionalidades afetivas e sensíveis na matéria.

Está dirigido a artistas ou qualquer um que não só esteja interessado, mas esteja envolvido em processos de criação, os mais diversos, e que sinta a necessidade de entrar em relação com outros campos e modos de pensamento e conhecimento, visa apresentar e problematizar o campo contemporâneo da criação quando nele estão implicadas práticas sensíveis.

Transitando entre noções como pesquisa-criação e ecologia de práticas, pretendemos abrir possibilidades para aquilo que aqui chamamos por aventura do pensamento como aquele processo sempre inacabado, onde na passagem pelas materialidades do mundo o movente do pensamento não se estagna e, pelo contrário, sempre se abre em experiências que trazem o novo.

Esta problematização e esta exploração se veriam empobrecidas se não implicassem em ato a própria experimentação. E fazem do corpo dos participantes possibilidades e vislumbres de pesquisas-criação singulares de cada um. Neste sentido, afirmando a dissolução da dicotomia teoria-prática, o seminário, ao mesmo tempo que almeja um movimento crítico, só atinge uma real dimensão de crítica imanente ao incluir um componente de clínica, de acompanhamento dos próprios processos e não só se limitando a dizer deles.

Objetivos da proposta:

– Visualizar uma outra perspectiva e modo de entrar em relação com os processos de criação quando estes se dizem híbridos e transitam por entre materialidades diversas, sendo que privilegiaremos as materialidades filosofia e arte.

– Apontar elementos para entrar em relação com os processos de criação e experimentação desde uma perspectiva das materialidades e que se diz não antropocêntrica e mais-do-que-humana, afirmando uma ecologia de práticas, sempre complexa e descentrada.

– Pensar as ferramentas para levar adiante pesquisas indisciplinares ou post-disciplinares no campo e encontro entre Humanidades e Artes.

– Enfatizar os elementos para uma ética da re-existência e para a revitalização e reinvenção dos processos de pesquisa e criação na academia, para que a pergunta pela aventura do pensamento se torne notável na universidade.

– Promover nos participantes a elaboração de um esboço em aberto de um possível processo de pesquisa-criação em consonância com as práticas singulares de cada um.

Programa de atividades:

  1. Sessão

Apresentação do campo problemático:

A relação entre despotencialização dos processos criativos e de pensamento e a extinção do vivente no planeta e a atual crise ambiental. A iminência de um pensamento não antropocêntrico ou mais-do-que-humano e a implicação em processos que promovam a instauração de novos modos de existência que podem vir a aparecer e comparecer por entre praticas artísticas e sensíveis e suas materialidades.

2./3. Sessão

Ecologia de práticas e técnicas:

No trânsito entre o pensamento de Gilles Deleuze e Isabelle Stengers, procuraremos pensar as condições e procedimentos dos processos de criação desde uma perspectiva porosa e vazante, onde o que interessa é abrir o pensamento a uma aventura que não reconhece a priori. Já não mais arte e filosofia, mas só práticas, técnicas, passagens e materialidades sensíveis. Nesta tarefa nos auxiliaremos também em apontamentos vindos da Medienphilosophie (Herzogenrath) e da Kulturtechnik (Siegert).

  1. /5. Sessão

Pesquisa-Criação:

Exploraremos as possibilidades e alcances da noção de pesquisa-criação nos trabalhos de Erin Manning e Brian Massumi, assim como das experiências desenvolvidas no SenseLab (Laboratório de pesquisa-criação e pensamento em movimento) de Montreal, Canadá.

  1. Sessão

Análise de caso:

Analisaremos e exploraremos dois casos de pesquisa-criação: O Livro das Sonoridades de Silvio Ferraz e Ondas: Um experimento em pensamento-cinema. Notas para uma poética da imanência de Sebastian Wiedemann.

  1. Sessão

Fazer corpo com a ecologia de práticas. Clínica 1:

A partir das práticas e técnicas com as quais os participantes do seminário têm intimidade, visamos abrir possibilidades de vislumbrar processos de pesquisa-criação por parte destes.

  1. Sessão

Fazer corpo com a ecologia de práticas. Clínica 2:

Discussão das ideias incipientes e dos esboços elaborados pelos participantes em relação a possíveis processos de pesquisa-criação. Considerações finais do seminário.

Bibliografia:

Deleuze, G., & Guattari, F. (1980). Mille plateaux. Paris: Minuit.

Deleuze, G., & Guattari, F. (1992). O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34.

Ferraz, S. (2005) Livro das sonoridades. Rio de Janeiro: 7letras.

Haraway, D. (2016). Staying with the Trouble: Making Kin in the Chthulucene. Durham: Duke University Press Books.

Herzogenrath, B. (2017). Media Matter: The Materiality of Media, Matter as Medium. New York: Bloomsbury.

Manning, E. (2016). The Minor Gesture. Durham: Duke University Press Books.

Manning, E. (2019). Em direção a uma política da imediação. In Conexões: Deleuze e Cosmopolíticas e Ecologias Radicais e Nova Terra e…. Campinas: CCL/Unicamp.

Manning, E., & Massumi, B. (2014). Thought in the Act: Passages in the Ecology of Experience. Minneapolis: University of Minnesota Press.

Parikka, J. (2013). Afterword: Cultural Techniques and Media Studies. Theory, Culture & Society, 30(6), 147–159. https://doi.org/10.1177/0263276413501206

Pelbart, P. P. (2014). Por uma arte de instaurar modos de existência que “não existem.” In Como pensar sobre coisas que não existem (pp. 250–265). São Paulo: Bienal de São Paulo.

Siegert, B. (2013). Cultural Techniques: Or the End of the Intellectual Postwar Era in German Media Theory. Theory, Culture & Society, 30(6), 48–65. https://doi.org/10.1177/0263276413488963

Stengers, I. (2005a). Deleuze and Guattari’s Last Enigmatic Message. Angelaki, 10(2), 151–167.

Stengers, I. (2005b). Introductory Notes on an Ecology of Practices. Cultural Studies Review, 11(1), 183–196. https://doi.org/10.5130/csr.v11i1.3459

Stengers, I. (2015). No Tempo das Catástrofes. São Paulo: Cosac & Naify.

Stengers, I. (2018). A proposição cosmopolítica. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, (69), 442–464. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i69p442-464

Stengers, I., Massumi, B., & Manning, E. (2009). History through the Middle: Between Macro and Mesopolitics – an Interview with Isabelle Stengers. Inflexions: A Journal for Research Creation, 3.

Wiedemann, S. (2015). Ondas: Um experimento em pensamento-cinema. Notas para uma poética da imanência. UFF Universidade Federal Fluminense, Niteroi.

Wiedemann, S. (2018). Ondas: Derivas em torno de um processo de pesquisa-criação. De uma escrita da imanência a uma ecologia da imediação. (p. 11). Unesp.

Modalidade: online. As sessões não ocorrem em tempo real, nem em horário fixo, mas se calcula que a carga de trabalho é de aproximadamente 20 horas.

Solicitamos que leiam mais sobre o trabalho online aqui.

Inscrições:

  1. Preencher e enviar a solicitação de inscrição. O instituto confirmará o recebimento, e enviará a informação necessária para o depósito.
  2. Efetuar o pagamento em seu valor exato.
  3. Enviar o comprovante do depósito para o e-mail: administracion@17edu.org

Público em geral

México e América Latina

Inscrições

100 reales
$500MXN (aprox $26USD)
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento

200 reales
$1,000MXN (aprox $53USD)
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento

200 reales
$1,000MXN (aprox $53USD)
Data limite: 19 de agosto

TOTAL

500 reais
$2,500MXN (aprox $131USD)

 
América do norte

Inscrições
$60USD
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento
$80USD
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento
$80USD
Data limite: 19 de agosto

TOTAL
$220USD

 
Europa

Inscripción
40€
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento
75€
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento
75€
Data limite: 19 de agosto

TOTAL
190€

 

Estudantes, professores e terceira idade*

México e América Latina

Inscrições

100 reales
$600MXN (aprox $32USD)
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento

150 reales
$700MXN (aprox $37USD)
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento

150 reales
$700MXN (aprox $37USD)
Data limite: 19 de agosto

TOTAL

400 reales
$2,000MXN (aprox $105USD)

 
América do norte

Inscrições
$60USD
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento
$60USD
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento
$60USD
Data limite: 19 de agosto

TOTAL
$180USD

 
Europa

Inscrições
40€
Data limite: 10 de julho

Primeiro pagamento
55€
Data limite: 22 de julho

Segundo pagamento
55€
Data limite: 19 de agosto

TOTAL
150€

 
*Os valores não se aplicam a outros descontos.

Pagamento imediato: desconto de 25% no valor relativo ao público em geral, ao realizar o pagamento em uma só vez antes do dia 5 de julho de 2019.

Desconto de 50% no valor para público em geral nos seguintes casos: inscritos, tutores e alunos da pós-graduação em Teoria Crítica do 17 (mestrado, doutorado e pós-doutorado) ao pagar em uma só vez.

325 reais. Custo total deste seminário a partir da terceira atividade cursada no 17, ao pagar em uma só vez.

Todos os pagamentos são dedutíveis de impostos.

Transferência ou depósito bancário (residentes no México)*

Cartão de crédito ou débito através do sistema PayPal (residentes no México e no exterior)

*A informação para realizar o depósito será enviada juntamente com a resposta à solicitação de inscrição.

Termos e condições aqui.

SOLICITAÇÃO DE INSCRIÇÃO

Data de nascimento

Por quais meios você teve conhecimento desta atividade?